BajaTTPinhal_Alejandro Martins-José Manuel Marques-Toyota Hilux
Alejandro Martins/José Manuel Marques-Toyota Hilux

A GRANDE ESTREIA DE ALEJANDRO MARTINS

In Desporto by Alexandre CorreiaLeave a Comment

Ao apresentarmos a Baja T.T. do Pinhal, escrevemos que o único piloto que nos parecia estar em condições de contrariar o favoritismo dos dois vencedores anteriores, João Ramos e Ricardo Porém, era Alejandro Martins.

E foi mesmo, pois o duelo entre estes não se prolongou além da fase inicial da prova organizada pela Escuderia Castelo Branco e à chegada à vila da Sertã, no final da tarde deste sábado verdadeiramente escaldante, Martins e o seu navegador, José Manuel Marques, celebraram uma vitória mais do que merecida, que os adiciona à lista de candidatos ao título.

Alejandro Martins nunca tinha conquistado uma vitória em termos absolutos, mas investiu bastante para que o triunfo desta tarde, na Baja T.T. do Pinhal, não tivesse sido obra do acaso, muito menos apenas uma consequência dos problemas que arredaram, ou simplesmente atrasaram, a dupla que esta manhã partiu da Sertã à frente da caravana.

Na verdade, Martins não se limitou a comprar uma boa Toyota Hilux, construída pela Overdrive e assistida pela MSport, nem sequer a assegurar a companhia de um dos navegadores mais competentes, José Manuel Marques. Este bem sucedido agente imobiliário empenhou-se ainda em melhorar as suas capacidades como piloto e prova após prova esse esforço tornou-se cada vez mais visível.

Já este ano, em Loulé, na estreia do campeonato, Alejandro Martins falhou por um triz um lugar no pódio e na segunda prova, em Reguengos de Monsaraz, tinha o segundo posto aparentemente consolidado quando uma saída de estrada o forçou a abandonar. A recompensa chegou nesta terceira jornada do Campeonato Nacional de Todo Terreno, onde demonstrou não ter pressa em discutir com os seus mais directos adversários, aguardando o desenrolar dos acontecimentos, sem cometer excessos.

Assim, depois de terem sido os terceiros melhores após as duas passagens pelo prólogo, na tarde de sexta-feira, Alejandro Martins e José Manuel Marques venceram o primeiro sector selectivo – de 190,8 quilómetros – com uma vantagem de mais de sete minutos sobre o Kia Sportage de Nuno Madeira e Miguel Costa, que lhes permitiu encarar os 136,9 km do segundo sector selectivo com maior tranquilidade. A ascensão de Alejandro Martins ao comando aconteceu já na parte final do sector selectivo matinal, quando foi o quarto piloto a ocupar a posição cimeira, depois de Ricardo Porém e de Nuno Madeira.

A manhã ficou marcada pelo abandono da Ford Ranger de Ricardo Porém e Luís Marques, que ficou imobilizada na pista devido à quebra de um semi-eixo da transmissão traseira, depois de percorridos pouco mais de oito dezenas de quilómetros. Porém era então o líder da prova com mais de três minutos de avanço sobre a Toyota Hilux de João Ramos e Victor Jesus, que atacaram logo de arranque e ao fim de meia centena de quilómetros já estavam à frente com uma vantagem de 19 segundos sobre o piloto da Ford.

Um despiste deixou a Toyota de Ramos literalmente enfiada num buraco, de onde somente saiu após cerca de meia hora de esforços contínuos, sem que o cronómetro parasse. Daí que o vencedor da prova de abertura do campeonato tenha descido para um modesto 13º lugar no final do sector selectivo.

E se nessa altura o Kia Sportage de Nuno Madeira era o melhor posicionado, um problema de sobreaquecimento impediu o piloto de manter o mesmo ritmo de andamento até ao regresso à Sertã, onde chegou já em segundo lugar, depois de batido quase no final da etapa pela Toyota de Martins. Em terceiro, colocou-se, entretanto, o Mini Cattiva de Henrique Silva e Rui Gomes, que à partida da etapa fechavam o lote dos dez melhores, evidenciando-se pela mais notável recuperação!

Em quartos, tal como na sexta-feira, depois da dupla passagem pelo prólogo, o BMW X1 Proto de Alexandre e Rui Franco manteve-se na perseguição ao Mini Cattiva de Henrique Silva, mas perfeitamente despreocupado com os que o seguiam, pois no início da etapa final já contavam com uma vantagem muito forte sobre o Mazda Proto de Pedro Dias da Silva e José Janela, os melhores do Desafio Total Mazda.

Em sexto lugar, Rui Sousa e Carlos Silva foram subindo gradualmente na classificação absoluta, reforçando a liderança do grupo T2, para assegurarem à Isuzu a terceira vitória consecutiva da nova D-Max que prepararam para esta temporada. Na posição imediata, colocou-se a Toyota Hilux de João Ramos e Victor Jesus, que ainda lograram recuperar até ao sétimo posto, seguindo-se os vencedores do grupo T8: Nuno Tordo e António Serrão, com um Mazda Proto!

Entretanto, a próxima prova será a Baja T.T. de Idanha, também organizada pela Escuderia Castelo Branco, a 8 e 9 de Setembro em Idanha-a-Nova.

Texto: Alexandre Correia
Fotos: Albano Loureiro

Partilhe este artigo