AlAttiyah nas dunas etapa3
Primeiro piloto a conseguir repetir a vitória numa etapa, Nasser Al-Attiyah nem assim conseguiu recuperar o comando. Mas a Toyota Hilux do qatari já está no terceiro posto.

QUEM SERÁ O PRÓXIMO A LIDERAR O “DAKAR”?

In Desporto by Alexandre CorreiaDeixe um comentário

As dunas da costa do sul do Perú têm feito as delícias dos milhares de espectadores que estão a acompanhar o arranque do Dakar Perú/Bolívia/Argentina 2018. E se os acidentes se têm repetido, talvez até demais, na frente a corrida vai aquecendo e em três dias tivemos já três líderes. Depois de Nasser Al-Attiyah, Cyril Despres e Stéphane Peterhansel, quem será o próximo a liderar o “Dakar”?

Ainda teremos de esperar umas longas horas pela resposta. Até porque além das 5 horas de diferença horária entre Portugal e o Perú (quando em Lisboa é meia-noite, em Lima ainda são apenas 19h00), o sector selectivo da quarta etapa promete ser intenso. Serão somente 330 quilómetros cronometrados, mas logo os primeiros cerca de 100 apenas irão mostrar um cenário aos pilotos: areia, areia e mais areia! Pormenor fora do comum será a partida dos carros em conjuntos de quatro, lado a lado…

Iremos assistir à largada em simultâneo dos Peugeot 3008 DKR Maxi de Stéphane Peterhansel, Cyril Despres e Sebastien Loeb, a rodearem a Toyota Hilux de Nasser Al-Attiyah. Será como que uma provocação para os franceses e para o qatari. E mais do que uma prova de arranque, nesta manhã de terça-feira os homens da frente vão ter de abrir por si próprios o caminho, com os mais fortes adversários a rolar ao lado.

O primeiro a fazer asneira vai pagar caro. Mas todos podem fazer asneiras. Porque isso tem acontecido constantemente nesta edição, que já afastou diversos dos protagonistas. 

O acidente que marcou a terceira etapa – e provocou mais um abandono de vulto – eliminou mais um dos Mini da X-Raid. Hoje foi a vez de Nani Roma ter sido protagonista de um voo de tal modo alto sobre uma duna, que ao aterrar o impacto foi tão brutal que o piloto perdeu momentaneamente os sentidos. E quando isso aconteceu, o Mini estava acelerado a fundo e continuou a rolar “em modo de condução autónoma”, apesar das tentativas do navegador, para tomar o controlo da situação. Antes de prosseguir desgovernado e a fundo para novo voo, Alex Haro Bravo, o navegador de Roma, terá dado uma guinada no volante, que impediu o voo, mas provocou uma sucessão de cambalhotas.

Enquanto isso, os portugueses seguiram em frente, com o Renault Duster de Carlos Sousa a terminar como o 22º mais rápido, conseguindo recuperar quatro lugares, para ascender ao 25º posto. André Villas-Boas e Ruben Faria foram 43º com a Toyota Hilux e agora estão no 41º lugar, pelo que amanhã irão partir 13 lugares à frente do Mini de Boris Garafulic, que tem ao seu lado o português Filipe Palmeiro, navegador profissional ao serviço do Team X-Raid há longos anos!

Assinale-se ainda que nas motos, continuamos representados por Fausto Mota, embora inscrito sob a bandeira espanhola. Mota, adiante-se, ocupa o 61º lugar na classificação das…motas!

Peterhansel etapa 3

Sem ter ganho ainda alguma etapa, Stéphane Peterhansel voltou a demonstrar que não é à toa que é recordista de vitórias no “Dakar”, pois já está à frente da prova…

Texto: Alexandre Correia
Fotos: Eric Vargiolou e Falvien Duhamel/DPPI/Red Bull Content Pool

Partilhe este artigo