Jaguar F-Pace vence Women’s World Car of The Year
Os membros do júri do Women’s World Car of The Year, entre as quais a jornalista portuguesa Carla Ribeiro, com o CEO da Jaguar Land Rover e o Director de Design da Jaguar, junto ao Jaguar F-Pace.

JAGUAR F-PACE É O “WOMEN’S WORLD CAR OF THE YEAR”

In Novidades by Alexandre CorreiaLeave a Comment

Prémio reflecte a escolha de júri de 25 jornalistas femininas de 19 países
Carla Ribeiro representa Portugal e a revista Todo Terreno neste júri

O Jaguar F-Pace foi distinguido como “Women’s World Car Of The Year”, numa votação que começou com a análise de um total de 294 modelos lançados em 2016, o ano a que se reporta o prémio. Desta extensa lista, uma primeira votação reduziu a lista para apenas 32 veículos, agrupados em seis categorias distintas, cada qual concorrente a um prémio. O vencedor final, por sua vez, é o mais votado da lista final de seis automóveis, que contempla apenas o primeiro classificado em cada categoria.

Instituído em 2010, o “Women’s World Car Of The Year” arrancou com um júri de apenas oito mulheres, todas elas jornalistas especializadas em automóveis, número que este ano já se alargou a 25 elementos, em representação de 19 países. Pela primeira, Portugal passou a ter um lugar neste júri internacional, num reconhecimento da importância, qualidade e alcance do trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos pela nossa colaboradora Carla Ribeiro.

Stratford Girls no Women's World Car of the Year

O rosto moderno do jornalismo automóvel. Jornalistas e membros do júri do Women’s World Car of the Year em Stratford Upon Avon antes da entrega do troféu, na sede da Jaguar, a 2 de junho. Atrás, da esquerda para a direita: Caroline Duval (França), Charlene Clarke (África do Sul), Sue Baker (Inglaterra), Carla Ribeiro (Portugal), LouAnn Hammond (EUA), Renuka Kirpalani (Índia), Seville Okumus (Turquia). À frente, também da esquerda para a direita: Ylle Rajassar (Estónia), Sandy Myhre (Nova Zelândia), Marta Garcia Fernandez e Sara Soria (Espanha).

“Estive no Reino Unido na acção de entrega do WWCoty 2016 ao Jaguar F-Pace”, que viveu na ocasião uma experiência “bastante interessante, quer pela visita que nos foi facultada às instalações da Jaguar, primeiro em Stratford Upon Avon, depois em Coventry”, o berço tradicional da marca. Nesta deslocação a Coventry, Carla Ribeiro e os membros do júri que se deslocaram ao Reino Unido, tiveram uma rara oportunidade de “conhecer o Centro de Design da Jaguar, numa visita guiada pelo próprio Ian Callum” – o famoso estilista britânico, que há longos anos dirige este departamento da Jaguar.

Fiona Pargeter, a responsável máxima pela Comunicação Global da Jaguar Land Rover, foi a cicerone neste programa, que culminou ainda com um encontro com Ralph Speth, CEO da Jaguar Land Rover. “Juntamente com Ian Callum e Ralph Speth, pudemos fazer uma breve viagem ao futuro da Jaguar, penetrando nos segredos que a marca ainda mantém reservados” – num “presente envenenado”, já que “todas as convidadas tiveram de assumir o compromisso de honra de guardarem entre nós tudo o que nos foi antecipado”.

Vencedor da categoria de SUV’s, o Jaguar-F Pace sucedeu no titulo de “Women’s World Car Of The Year” a outro modelo desta classe, o Volvo XC90, galardoado no ano passado, com o prémio relativo a 2015. E embora a categoria de SUV somente tenha sido criada há três anos, já em 2012 o vencedor absoluto tinha sido um SUV, quando a votação final elegeu o Range Rover Evoque!

A lista dos vencedores foi inaugurada em 2010 com o Jaguar XF, seguindo-se em 2011 um prémio duplo, pois o BMW Series 5 e o Citroën DS3 empataram no primeiro lugar absoluto. O troféu distinguiu ainda o Ford Fiesta em 2013 e o Mercedes-Benz S Classe em 2014.

O único troféu atribuído exclusivamente por mulheres

De acordo com Sandy Mhyre, a “managing director” do WWCOTY, “este é o único troféu no âmbito da indústria automóvel que é atribuído exclusivamente por mulheres” e o progressivo alargamento deste júri “começa a tornar nossa organização numa voz cada vez mais activa ao nível do mundo automóvel”.

A propósito, a líder da organização do WWCOTY, refere que “há muito tempo que esta indústria reconhece que a opinião das mulheres é determinante em cerca de 80 por cento das vendas, seja porque elas próprias compram automóveis, seja porque influenciam a compra no seio da família.

No entanto, até instituirmos o Women’s World Car Of The Year, as mulheres não integravam o painel de jurados de nenhum dos prémios atribuídos anualmente” – o que agora já não acontece, com o júri dos prémios europeu e mundial a estender-se pela primeira vez a algumas jornalistas, escolhidas entre representantes do WWCOTY.

“Surpreende-me que isso tenha demorado tanto tempo a acontecer, mas somente demonstra que, finalmente, a indústria automóvel despertou para o poder aquisitivo que as mulheres representam”, remata Sandy Mhyre, autora e jornalista britânica, que viveu grande parte da sua vida na Nova Zelândia, onde voltou a residir em permanência desde 2010.

Texto: Alexandre Correia

Partilhe este artigo