João Ramos começa na frente em Reguengos de Monsaraz

O Campeonato de Portugal de Todo Terreno AM|48 arrancou esta manhã com a Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal. O prólogo, de apenas 7,2 quilómetros não trouxe surpresas: Ramos começa na frente em Reguengos de Monsaraz! Bastou uma vantagem de 1,4 segundos para que o piloto da Toyota seja o primeiro líder da prova alentejana…

A manhã foi mais fresca do que se previa. Se estivéssemos a falar do boletim meteorológico, a brisa que soprou suavemente fez com que não sentíssemos o calor. Mas falamos da terceira prova do Campeonato de Portugal de Todo Terreno AM|48. O triunfo da Toyota Hilux de João Ramos e Victor Jesus foi obtido pela diferença mínima, emprestando algum “calor” à corrida.

Mas embora tenha sido mesmo à justa, bastou uma vantagem de 1,4 segundos para o piloto da Toyota ser o primeiro líder da prova. A Ford Ranger de Pedro Dias da Silva e José Janela ficou no segundo posto; por pouco não quebrou a invencibilidade de Ramos e Jesus, que em três provas, este ano, ganharam todos os prólogos.

Más surpresas logo no arranque…

Pedro Dias da Silva e José Janela por pouco não surpreenderam João Ramos e Victor Jesus; a Ford Ranger ficou a um segundo...
Pedro Dias da Silva e José Janela por pouco não surpreenderam João Ramos e Victor Jesus; a Ford Ranger ficou a um segundo…

O prólogo desta edição histórica da Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal foi cumprido num pequeno troço inédito. O traçado, de 7,25 quilómetros, decorreu nos arredores de Reguengos de Monsaraz. Nos últimos anos a prova abriu junto à barragem de Alqueva e agora, a mudança de cenário foi apenas uma das surpresas da manhã.

Porque se a vitória de Ramos foi como que o prolongar de uma regra, as surpresas foram o desempenho de alguns dos protagonistas, que não conseguiram destacar-se. Nuno Matos e Pedro Marcão são o exemplo disto: desistiram depois de cumpridas apenas quatro curvas!

“Não costumo abusar nos prólogos”, referiu à Todo Terreno o piloto da Fiat Full Back Proto. “Apesar disso, sentia-me confiante quanto ao novo prólogo da prova”, prosseguiu Nuno Matos. “Arranquei e fiz a primeira curva, a segunda, a terceira e ao chegar à quarta percebi que vinha demasiado depressa”. Matos prossegue a descrição do acidente que o afastou da prova: “Vi que não conseguia curvar e procurei sair de frente; para o terreno lavrado. Mas não percebi que havia uma vala na berma. Assim que a roda da frente caiu na vala, capotei e percebi que a nossa corrida tinha terminado logo ali”.

O arco de segurança da Fiat de Nuno Matos absorveu tão bem o impacto que “até se moveu” – disse-nos o piloto; adiantando que “este é o dano pior que teremos de reparar”. De resto, “é quase só pôr um vidro novo e reparar a fibra de uma porta”. E atacar na segunda metade do campeonato, pois a vitoria na prova inaugural é o único resultado com que Nuno Matos conta…

Líder do campeonato atrasa-se no pó

Má surpresa foi também o que sentiu Alexandre Ré: o líder do campeonato, partiu para o prólogo atrás do Land Rover de um piloto espanhol bem mais lento. E isso foi o suficiente para que a Volkswagen Amarok dos irmãos Ré rolasse submersa numa nuvem de poeira durante boa parte do troço. No final, embora Alexandre e Pedro Ré tenham perdido somente 25 segundos para o vencedor, não foram além do 10º lugar.

O mais curioso é que o décimo posto foi partilhado entre a Amarok dos irmãos Ré e o Mini de César e Filipa Sequeira. Entre estas duas duplas e os anteriores, ainda se registaram mais dois casos de diferenças ridículas. Por exemplo, André Amaral (Ford Ranger) e Miguel Casaca (Mitsubishi Racing Lancer) ficaram em quinto e sexto por 0,4 segundos de diferença. À frente destes, a vantagem do Mitsubishi de Tiago Reis, o terceiro mais rápido, pareceu uma eternidade: bateu por quatro segundos a Toyota Hilux de Paulo Rui Ferreira.

A diferença mais reduzida entre dois concorrentes foi de apenas 0,1 segundos. E marcou a diferença entre a Isuzu de Hugo Arellano e o Mitsubishi de Manuel Correia; foram o sétimo e oitavo melhores no prólogo. Lino Carapeta, com o Land Rover Evoque foi nono e ficou a somente 0,4 segundos do anterior…

Terceiro classificados no prólogo, Tiago Reis e Valter Cardoso destacaram-se dos restantes adversários que se colocaram no "top-ten"
Terceiro classificados no prólogo, Tiago Reis e Valter Cardoso destacaram-se dos restantes adversários que se colocaram no “top-ten”

A Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal prossegue esta tarde, com um sector selectivo de 152 quilómetros, concluindo-se amanhã de manhã. Para domingo, está prevista nova passagem por este troço de centena e meia de quilómetros! Para já, João Ramos começa na frente em Reguengos de Monsaraz; resta ver o que se passará esta tarde?

Texto: Alexandre Correia

Fotos: AIFA

Comentar

Navigate