Luta de gigantes nos camiões

Quem tem dúvidas quanto ao elevado nível competitivo deste Rali Dakar na luta de gigantes nos camiões. A dois dias do final, depois de percorridos 7518 km, os dois primeiros da classificação estão separados pela diferença mínima: apenas 1 segundo!

Os duelos entre os camiões da Kamaz e da Iveco já não são novidade no “Dakar”. Até já se repetiram, recentemente, no África Eco Race. Mas nunca a discussão pelo primeiro lugar foi tão intensamente discutida como este ano. Numa altura em que faltam apenas cumprir as duas etapas finais, a vitória nos camiões está em aberto. E não é preciso ter poderes ocultos para se adivinhar que nesta penúltima jornada a liderança entre os “pesados” irá mudar várias vezes…

Quando a diferença é de somente 1 segundo, basta uma travagem ligeiramente mais prolongada para as posições se inverterem. Sucessivamente. Daí que hoje, os olhos vão estar postos nos camiões. No Kamaz de Eduard Nikolaev e no Iveco de Federico Villagra. Estes dois trocaram ontem de posições, com o argentino a ceder a liderança depois de ter perdido 1 minuto e 8 segundos para o seu adversário russo, que assim recuperou o comando por…1 segundo de vantagem!

FEDERICO VILLAGRA
Vencer diante do seu público é uma motivação adicional para Federico Villagra. Restam-lhe dois dias para levar o Iveco negro de novo ao primeiro lugar…

Villagra não terá a vida fácil nestas jornadas finais. O público argentino estará ainda mais entusiasmado que nunca perante a possibilidade da vitória do piloto local. O que somente contribuiu para aumentar a pressão sobre o homem da Iveco. Pressão que é ainda maior sabendo que Nikolaev não lhe irá dar tréguas. E o russo além de rápido, conta com um camião bastante robusto.

Mas à margem deste duelo pela vitória final, trava-se um outro entre os camiões. É o que tem oposto o holandês Ton Van Genugten, da equipa oficial da Iveco, ao russo Airat Mardeev, também da Kamaz. O primeiro ganhou três das cinco últimas etapas e está no quinto posto absoluto, mas procura melhorar. E Van Genugten tem Mardeev sob mira, pois a diferença entre ambos é de pouco mais de 3 minutos. Mais importante até que ultrapassar o seu adversário russo, será vencer ainda mais etapas. E restam duas oportunidades para que o Iveco de Genugten volte a brilhar.

Indiferente ao duelo que se trava pela vitória e pelo quarto lugar, o bielorusso Siarei Viazovich, num MAZ, prossegue discretamente no terceiro posto. Leva quase 3 horas e meia de atraso relativamente aos primeiros, mas goza de quase 2 horas de vantagem sobre os seguintes. E não arriscaremos muito em dizer desde já que na classificação dos cinco primeiros camiões, somente o terceiro lugar de Viazovich parece consolidado…

 SIARHEI VIAZOVICH
Dos cinco primeiros camiões, o único que parece ter desde já a sua posição consolidada é o MAZ de Siarhei Viazovich. Está no terceiro lugar.
TON VAN GENUGTEN
Vencedor de três das últimas cinco etapas, o holandês Ton Van Genugten ainda quer somar mais sucessos. E está a pouco mais de 3 minutos de alcançar o quarto lugar.

Texto: Alexandre Correia
Fotos: DPPI

Comentar

Navigate