Ramos à frente na Baja Portalegre

Ainda só estão cumpridos cerca de 3,5 quilómetros, ou seja, quase nada, se adiantarmos que este sábado serão percorridos 442,4 km até se completar a 31ª edição da Baja Portalegre 500, mas para quem segue na frente é a dupla formada por João Ramos e Victor Jesus. A Toyota Hilux destes dois impôs-se no prólogo por uma escassa margem sobre a Ford Ranger de Ricardo Porém e Hugo Magalhães, completando-se o pódio com mais uma Toyota Hilux, a de Alejandro Martins e José Manuel Marques.

Com o título nacional praticamente decidido a favor de Porém, a verdade é que na frente da prova mais antiga do calendário, que encerra amanhã esta temporada – uma vez que a Baja T.T. do Douro não se realizará – estão reunidos os três grandes animadores deste Campeonato Nacional de Todo Terreno. João Ramos, Ricardo Porém e Alejandro Martins dividem entre si as vitórias nas quatro provas anteriores. E se é verdade que Porém é o único que conseguiu repetir um triunfo, também não é menos verdade que João Ramos foi o primeiro a ganhar e amanhã. nos cerca de 442 quilómetros dos três sectores selectivos que restam cumprir, é de longe o que tem mais a ganhar se arriscar tudo para ser também o último a vencer uma corrida este ano.

A redução do campeonato de seis para cinco provas acabou por reduzir significativamente a discussão pelo título. Desta luta ficou desde já arredado João Ramos, mas Ricardo Porém e Alejandro Martins prosseguem em duelo. Um duelo que é claramente favorável ao piloto da Ford Ranger inscrita pela South Racing, embora seja preciso esperar pelo desfecho da prova para que Porém possa revalidar o título.

Liberto da pressão de necessitar de amealhar pontos, João Ramos procurará em Portalegre aquilo que sempre o motiva nas corridas: ganhar! Mas vencer a prova alentejana é conseguir mais do que uma vitória. Será garantir o triunfo na Baja mais importante da Taça do Mundo de Todo Terreno, que também termina aqui a época de 2017. E isso significaria uma alegre recompensa para a eliminação a que ficou sujeito na discussão pelo título, devido ao cancelamento definitivo da prova que o Gondomar Automóvel Sport deveria organizar nos primeiros dias de Dezembro.

O trio que tem sido responsável pelos momentos mais disputados desta temporada nacional parte amanhã de Ponte de Sor à frente de mais 45 concorrentes, entre os quais há mais alguns que vieram até ao Alentejo empenhados em contrariar os homens que esta manhã tomaram a liderança, no prólogo. A começar pelos brasileiros Guilherme Spinelli e Youssef Haddad, que asseguraram o quarto posto com um dos Mini John Cooper Works Rally do Team X-Raid, depois de terem concedido quase sete segundos e meio aos mais rápidos. Atrás destes, no quinto posto, colocou-se outro dos Mini do Team X-Raid: o carro tripulado pelo chileno Boris Garafulic, que tem como navegador o nosso compatriota Filipe Palmeiro, ele mesmo um natural de Portalegre, que já há vários anos integra o Team X-Raid como navegador profissional; Palmeiro é hoje o navegador com maior número de participações internacionais e o seu piloto já conhece bem o terreno que vão pisar, pois em 2015, na anterior participação em Portalegre, terminou precisamente na posição que agora ocupa, ou seja, no quinto lugar!

E quem também aposta imenso na experiência, ainda mais forte, pois também é de Portalegre e vai sentado ao volante, é Nuno Matos. O Campeão Nacional em título despede-se desta época correndo em casa. Acompanhado por Pedro Marcão, Nuno Matos há meses que espera pela Baja Portalegre 500, última oportunidade para fechar o ano com um resultado relevante, depois das suas opções e experiências de internacionalização terem ficado marcadas por uma extrema discrição. Sexto mais rápido no prólogo, com apenas mais 10 segundos que o vencedor, Matos partirá precisamente atrás dos seus mais fortes adversários, o que poderá oferecer-lhe a vantagem de conseguir controlar o andamento destes, sem que o inverso seja possível. E por vezes, a surpresa é uma ajuda preciosa. Veremos amanhã, que vai ser uma longa jornada pelas terras do Alto Alentejo…

Texto: Alexandre Correia
Fotos: Albano Loureiro

Comentar

Navigate