Land Rover ou Jeep? Marilyn Monroe também se dividiu…

Passaram-se já 57 anos sobre a morte da loura que, provavelmente, mais suspiros deve ter provocado. É claro que falamos de Marilyn Monroe, que a 8 de Agosto de 1962 fez parar o trânsito em Los Angeles pela última vez. O cortejo do funeral da actriz foi acompanhado por largos milhares de pessoas. Hoje recordamo-la através de duas imagens que levantam a discussão de sempre: Land Rover ou Jeep? Marilyn Monroe também se dividiu…

Para a imprensa “cor de rosa”, basta uma fotografia e toda a imaginação que ocorrer, para se criar uma história. Que por vezes é tão repetida, que acaba por tornar-se verdadeira; mesmo sabendo-se que nada sustenta o que é contado sobre uma mera imagem. Se, aqui, na Todo Terreno, estivéssemos dispostos a mudar para esse tipo de jornalismo, não nos faltaria imaginação.

Por exemplo, para falar e falar sobre estas duas fotografias, em que vemos Marilyn Monroe a bordo de um Jeep e ao volante de um Land Rover. Mas como continuamos empenhados em praticar um jornalismo de rigor, estas fotos levaram-nos noutro sentido. Fomos procurar sim, o que retratam e como aconteceram!

Marilyn Monroe num Jeep em 1954 na Coreia
Estávamos a Fevereiro de 1954 quando Marilyn Monroe surpreendeu 100.000 militares norte-americanos com uma visita à Coreia. Dir-se-ia, com rigor, que desfilou pelas “tropas em parada” a bordo deste Jeep M38A1…

A história por trás de duas fotografias

Quando Thierry Sabine lançou o Rali Paris-Dakar, em finais de 1978, procurou desde logo rodear a prova de “vedetas”. A ideia, excelente, foi despertar as atenções. Se Marilyn Monroe ainda fosse viva, teria 52 anos nessa altura; e não duvidamos que teria feito sensação, se desfilasse na partida, em Paris. Basta pensarmos no sucesso, real, que foi a sua “visita” à guerra da Coreia.

Estávamos em Fevereiro de 1954 e Marilyn Monroe tinha-se casado um mês antes com o célebre craque do basebol, Joe DiMaggio. Em Lua de Mel através do Japão, a diva foi solicitada pelas autoridades norte-americanas a fazer um desvio à Coreia. A guerra tinha terminado a 27 de Julho de 1953 e o paralelo 38 já dividia o país em norte-sul; a tensão e o aparato militar era o mesmo, só já não havia era combates. As tropas norte-americanas estacionadas junto à linha de delimitação do Paralelo 38 eram ainda algumas centenas de milhares. Animá-las era uma preocupação constante das chefias.

Sabendo que Marilyn Monroe andava bem perto da Península da Coreia, os americanos conseguiram sensibilizá-la a interromper a Lua de Mel. Foi aí que começaram os problemas do casamento com DiMaggio, que não acompanhou Marilyn. A viagem decorreu de 16 a 19 de Fevereiro e a diva reuniu cerca de 100.000 militares em dez espectáculos que deu, ao ar livre.

Três dias de espera ao relento…

Conta-se que um soldado conseguiu três dias de licença e munido de cobertores e caixas de ração de combate, viveu esses dias na fila: foi preciso esperar um par de dias até conseguir um lugar frente ao palco. Não perdeu um único espectáculo, mas outros houve que privaram mais de perto; nas galas nas messes de oficiais, também animadas ao som da Anything Goes Band. Esta era uma banda musical, formada por 11 militares, que estavam em serviço na Coreia.

Outros houve, que somente puderam aplaudir e, sobretudo, assobiar a Marilyn Monroe, quando a viram desfilar por entre os campos, a bordo de um Jeep M38A1. Foi o caso de Alfred Zirkel, um soldado norte-americano, que registou a fotografia que acima publicamos. Foi a 19 de Fevereiro, faltavam uns minutos para as cinco da tarde e a visita de Monroe estava quase no fim…

Com um Land Rover na praia, nos Hamptons

Já a fotografia de Marilyn Monroe sentada ao volante de um Land Rover, não foi obra do acaso. Aconteceu em Julho de 1957, num dia bem quente desse Verão. Marilyn já estava casada com Arthur Miller e o fotógrafo Sam Shaw, amigo de longa data, foi visitá-los. E desse encontro resultou uma longa sessão de cerca de 900 fotografias.

Marilyn Monroe e Arthur Miller tinham arrendado uma casa na praia de Amagansett, uma das mais aprazíveis na luxuosa área dos Hamptons; é onde ainda hoje os milionários nova-iorquinos passam as férias estivais. Sam Shaw, que já acompanhava Marilyn há alguns anos, desde que ela tinha chegado a Nova Iorque, foi até lá. E levou o seu equipamento, dentro de um Land Rover Series 2. Nesta sessão de fotografias, Marilyn usou essencialmente um fato de banho branco, mas também um vermelho e outro azul. Num intervalo, posou ao volante do Land Rover.

Anos mais tarde, a própria Land Rover adquiriu os direitos desta fotografia a Sam Shaw e ainda hoje a usamos aqui. Não só para contar a história que está por trás da imagem, como para recordar esse sorriso divinal. Que se apagou de vez há 58 anos. Marilyn Monroe morreu a 5 de Agosto de 1962, em circunstâncias que nunca deixaram de levantar dúvidas. Quando foi fotografada nos Hamptons, a bordo do Land Rover, estava grávida de dois meses. E não andou a passear pela areia com este Series II branco…

Marilyn Monroe ao volante de um Land Rover Series II em 1957
Land Rover ou Jeep? Bem que poderíamos dizer que Marilyn Monroe também se dividiu. Mas nunca teve nem um, nem outro. E à época desta imagem, o seu marido, Arthur Miller, conduzia um Jaguar XK120. Marilyn rolava ao volante de um Ford Thunderbird

Texto: Alexandre Correia

Fotos: Alfred Zirkel e Sam Shaw/Arquivo Land Rover

Comentar

Navigate