Preparados para percorrer 290 km de T.T. num dia?

O desafio é do Clube Land Rover de Portugal e apresenta-se como um passeio único. Não diremos que inédito na sua forma, mas talvez até pelo percurso. O “Portugal Norte-Sul” vai ligar Trás-os-Montes ao Algarve em três jornadas, que se adivinham longas. Os reconhecimentos da etapa de abertura já estão concluídos: preparados para percorrer 290 km de T.T. num dia?

A condução fora da estrada, mesmo que por caminhos suaves e rolantes, é sempre mais lenta do que imaginamos. Estabelecer uma média de 30 km/h implica normalmente conduzir bastante mais depressa. Ou ignorar o que faz com que um passeio fora da estrada seja agradável: a descoberta de novas perspectivas e paisagens, que implicam ser olhadas com calma. E isso requer tempo.

O grande passeio que o Clube Land Rover de Portugal reserva para este ano é muito mais do que um desafio. Porque promete que a travessia de Portugal, descendo de Trás-os-Montes ao Algarve, seja mesmo um passeio. Ainda que com percurso de maratona…

Maratona começa junto ao rio Tua

O Passeio Portugal Norte-Sul vai começar com esta paisagem: o espelho de água do rio Tua, diante do centro da cidade de Mirandela!
O Passeio Portugal Norte-Sul vai começar com esta paisagem: o espelho de água do rio Tua, diante do centro da cidade de Mirandela! Três dias depois, termina na costa algarvia…

E como à partida não é suposto que alguém esteja cansado, o primeiro dia é aquele que propõe o percurso mais longo. Segundo Frederico Gomes, o Presidente do Clube Land Rover de Portugal, “serão 330 quilómetros!” Este responsável adianta à Todo Terreno que “os reconhecimentos da etapa de abertura estão terminados“; prometendo que “vai ser uma jornada fantástica“.

A etapa inicial “não terá mais de 40 quilómetros em asfalto“, assegura Frederico Gomes. “E boa parte do percurso em asfalto será logo na ligação entre Mirandela e Macedo de Cavaleiros. É lá que começa o itinerário em todo terreno, subindo às cumeeiras da Serra de Bornes“, explica.

Os primeiros quilómetros fora da estrada vão percorrer uma pista pelas cumeeiras da Serra de Bornes, ao longo do Parque Eólico de Macedo de Cavaleiros. Começam aqui 290 km de T.T. num dia
Os primeiros quilómetros fora da estrada vão percorrer as cumeeiras da Serra de Bornes, ao longo do Parque Eólico de Macedo de Cavaleiros. Começam aqui 290 km de T.T. num dia

A pista que se estende ao longo do Parque Eólico de Macedo de Cavaleiros é tão boa que seria difícil encontrar um caminho mais rolante. Mas se parece asfalto, a verdade é que não é!

Temos a preocupação de não excluir nenhum modelo da Land Rover/Range Rover. Isso implica também um cuidado especial com a selecção dos pisos“. É assim que Frederico Gomes justifica esta opção, aliás, “fundamental para conseguirmos cumprir longas distâncias fora da estrada“.

E prossegue junto ao Sabor, ao Douro e Côa…

As amendoeiras fazem parte da paisagem da "Terra Quente" transmontana. Ao fundo, a albufeira da nova barragem do rio Sabor. Esta será a paisagem que os participantes vão descobrir na segunda hora do percurso
As amendoeiras fazem parte da paisagem da “Terra Quente Transmontana”. Ao fundo, a albufeira da nova barragem do rio Sabor. Esta será a paisagem que os participantes vão descobrir na segunda hora a rolar pelo percurso do “Portugal Norte-Sul” 2019

A passagem da caravana pelas paragens da “Terra Quente Transmontana” não durará mais do que um par de horas. A despedida de Trás-os-Montes anuncia-se depois de avistadas as águas do rio Sabor e a sua foz, diante do Pocinho. “Descemos em direcção ao rio Douro por uma pista que oferece uma ampla panorâmica“, depois da breve escala em Torre de Moncorvo.

As amendoeiras que salpicam as encostas dão então lugar às vinhas, já na Região Demarcada do Douro. Neste caso, a passagem será ainda mais breve. “De facto, cortamos literalmente a direito e avançamos pela Beira Alta, rumo a sul“, diz Frederico Gomes. “Mas a imagem do encontro com o Douro não deixará de ficar gravada na memória“, assegura!

Entre os rios Douro e Côa fica Vila Nova de Foz Côa. Ponto de paragem perfeito para um intervalo a meio da manhã, já a pedir um café...
Entre os rios Douro e Côa fica Vila Nova de Foz Côa. Ponto de paragem perfeito para um intervalo a meio da manhã, já a pedir um café…

Acompanhando o rio Côa, sem praticamente o ver, o percurso passa pelas Termas de Longroiva e pela aldeia medieval de Marialva; para depois continuar por Trancoso e Celorico da Beira. “Então, já estaremos a ver a Serra da Estrela e manhã estará a terminar“. Vila Nova de Foz Côa, terá ficado para trás, tal como o intervalo a meio da manhã, para um café…

Barrocos de granito beirões por companhia

A mudança de região será perfeitamente perceptível. Pois a paisagem vai mudar de forma radical. Ao percorrer os caminhos da Beira Alta, sempre que olhamos em redor, vamos encontrar grandes barrocos de granito. A subida à cidade mais alta de Portugal, a Guarda, será já feita com a manhã terminada.

A partir da Guarda, a caravana vai descer a Serra da Estrela até ao vale de Manteigas e Belmonte. Depois, o itinerário segue pelas cumeeiras que espreitam a chamada “Cova da Beira”, o vale alargado que se estende desde a Covilhã ao Fundão e a Castelo Branco.

Em terras da Beira Alta, os barrocos de granito são uma imagem constante. Vão assinalar o ponto em que o percurso da primeira etapa chega a meio
Em terras da Beira Alta, os barrocos de granito são uma imagem constante. Vão assinalar o ponto em que o percurso da primeira etapa chega a meio

“Já na fase final do primeiro dia, iremos passar como que entre a Covilhã e Penamacor“, explica o Presidente do Clube Land Rover de Portugal. E antes de se alcançar a vila de Alcains, o percurso inflecte para leste, como que em direcção ao Tejo Internacional. Mas o encontro com o rio Tejo fica reservado para a segunda etapa. “E tal como a passagem junto ao Douro, será igualmente muito breve, apenas simbólica“. Mas sobre o segundo dia do Passeio Portugal Norte-Sul, falaremos em breve; até porque “os reconhecimentos ainda decorrem”, justifica Frederico Gomes.

Apenas 25 Land Rover/Range Rover têm lugar

Recordamos que o Passeio Portugal Norte-Sul está marcado para os dias 2 a 5 de Outubro próximos. A primeira jornada será apenas para o encontro entre os participantes. Não mais do que 25 veículos terão lugar na caravana. Entre modelos da Land Rover e da Range Rover, “sejam dos mais antigos, ou dos mais novos, todos terão lugar“.

Frederico Gomes explica que “num passeio com esta dimensão, somos obrigados a limitar a caravana a 25 viaturas”. De acordo com o responsável do Clube Land Rover de Portugal, “acima disso, seria necessária uma logística mais pesada. O que implicaria mais custos, que teríamos de fazer reflectir no valor da inscrição.

A presença no Passeio Portugal Norte-Sul 2019 custa 650,00 euros por um veículo com duas pessoas. Os interessados podem encontrar aqui o formulário de inscrição https://clubelandrover.pt/atividades/. Mas há uma condição fundamental, além de que só são admitidos os Land Rover/Range Rover: “As inscrições estão reservadas ao sócios do clube, com as quotas em dia”, alerta Frederico Gomes! E será fundamental que os participantes se sintam preparados para percorrer 290 km de T.T. num dia…

Apenas serão admitidos os modelos da Land Rover/Range Rover. E os sócios do clube com as quotas em dia. Estão preparados para percorrer 290 km de T.T. num dia? É importante, porque depois há mais dois dias...
Apenas serão admitidos os modelos da Land Rover/Range Rover. E os sócios do clube com as quotas em dia. Estão preparados para percorrer 290 km de T.T. num dia? É importante, porque depois há mais dois dias…

Texto: Alexandre Correia

Fotos: T.T./Clube Land Rover de Portugal

Comentar

Navigate